DiverCity e Canada Day

em domingo, 14 de julho de 2013 com 2 Comentários
Olááááá gente bonita!

Desta vez eu voltei antes do que previa e depois do que queria. Nos últimos 11 dias absorvi mais informação e tirei mais fotos do que nos últimos 6 meses. Primeiro porque é verããããão em Charlottetown e, como um bom balneário, a cidade está fervendo (de turistas e atividades) e segundo porque eu recebi a visita ilustre do meu namorado, que também foi o motivo do "atraso" na postagem das novidades. Na verdade eu estive meio offline durante todo o período em que ele esteve aqui... Enfim, vamos ao que interessa?


No dia 30 de junho houve um festival aqui para comemorar a diversidade cultural da ilha, afinal, são muitos imigrantes. Foram horas de apresentações musicais, dança, comidas típicas, balões (até hoje estou frustrada por não ter conseguido um =/ ), pintura facial, distribuição de bandeirinhas do Canadá, broches e mais um monte de parafernalhas canadenses. É lógico que peguei os meus apetrechos.

Nem chegava perto de ser uma multidão, mas foram os dias em que vi mais gente por aqui desde que saí do Brasil. Bem, não dá para esperar muito de uma cidade com menos de 100 mil habitantes, né? Então, eu tirei muitas, MUITAS fotos neste dia, mas acho que o melhor é mostrar o compilado de vídeos abaixo (que reduzi bastante para vocês não ficarem entediados, isso para não mencionar que tive que cortar um bocado de partes porque não fico olhando para a câmera quando estou filmando essas coisas e acabo filmando cabeças de estranhos ao invés do que interessa). Reparem no cara fazendo uma demonstração de kung fu enquanto toca música tradicional portuguesa (eu acho) ao fundo.


Pois é, foi um dia de muita música, danças e comidas típica de tudo quanto é canto do mundo (menos do Brasil, sad =/ ). Tudo isso na maior organização, limpeza e com um som que te permitia conversar. Eu já falei o quanto odeio festas com música a todo volume em que você grita o mais alto que pode no ouvido do seu amigo e ele não te ouve? Não? Bem, você provavelmente vai ver mais menções sobre isso por aqui. Continuando: passei por esta rua no dia seguinte, não tinha UM papel sequer no chão. Claro que o pessoal já tinha limpado, mas isso me lembra dos resídios de shows e festas no Brasil que ficam dias lá "embelezando" a cidade.

Em resumo: o pessoal arrasou e eu me diverti pra caramba, principalmente por causa da compainha :D


Canada Day

O dia da independência do Canadá é comemorado em 1º de julho. É um país novinho, tem menos de 150 anos. E digo "menos de 150" porque fui pesquisar um  pouco a história e fiquei extremamente confusa. Por quê? Vamos lá:
  1. Estão armando uma mega festa para comemorar os 150 anos do país no ano que vem (2014);
  2. Porém, em qualquer lugar que você procure (incluindo o site do consulado), diz que o Canadá se tornou independente em 1867... Opa, tem coisa errada nessa conta aí, né?;
  3. Diz-se que isso foi definido em uma conferência aqui em Charlottetown que aconteceu em 1864, então pensei: "ah, então devem ter decido manter a data de quando tudo começou... só pode";
  4. Só que: a tal conferência começou em 1º de setembro;
  5. Foi aí que eu desisti de tentar entender.
Então, deixando de lado o Canadá e sua história complexa, foram dez horas de festa no Victória Park com música, balões, pintura facial, atividades familiares e o grand finale com "a maior queima de fogos do leste do Canadá". Coincidentemente, neste primeiro de julho eu estava fazendo dois anos de namoro, então a programação foi perfeita. Lógico que não ficamos o dia inteiro no parque (seria absurdamente cansativo), passeamos bastante pela cidade antes de ir para lá, o que nos rendeu esta foto que eu adorei :D

Marcelo e eu no Queen Elizabeth Park
Mas voltando ao assunto Canada Day, eu nunca tinha percebi o quanto os canadenses têm orgulho de serem canadenses antes deste dia (e eles têm motivos para isso). Todo mundo sorrindo, vestindo as cores da bandeira, acessórios festivos, desejando "Happy Canada Day!" a qualquer um que passasse na rua... Eu achei tudo muito divertido, parecia que a cidade estava mais viva. Acho que chegamos ao parque por volta das 5h da tarde e já estava bem cheio. Tinha um palco pequeno que trocava de banda mais ou menos a cada meia hora (o que foi um ponto ruim, pois significa que sempre passava algum tempo sem música ao vivo). Estava tocando todo tipo de música, mas quer saber o que é realmente maravilhoso sobre música no Canadá? Aqui, música ruim é Justin Bieber, One Direction e etc., que por mais que sejam ruins, nem se comparam a ser obrigada ouvir funk ou banda Tarraxinha (se você não sabe o que é isso, não procure saber e continue sendo feliz).

Mesmo assim, o Victoria Park é grande o suficiente para as proporções desta cidade, então andamos pelas trilhas, sentamos do outro lado do parque (onde estava bem mais fresco) e ficamos aproveitando a tarde.

Ignorem os olhinhos de chinês, o sol estava no nosso rosto.
Essa aqui é só para mostrar o meu chapéu, mas vocês podem fingir que eu queria mostrar como as crianças brincam tranquilamente lá trás  :D

Depois de andar pelo parque e parar para tomar um sorvete, fomos para o local onde estava o palco. No caminho, tivemos uma agradável surpresa:

Esta fofura estava passando pelo nosso caminho. E não, aqui não é como Toronto ou outras cidades canadenses que tem mais esquilo que pombo. Aliás, aqui deve ter mais raposas que esquilos, se considerar o quanto vemos cada um.
Apesar de se tratar de uma festa num local aberto, não se via bagunça. Aposto que isso se deve ao fato de não ser permitido beber em locais públicos no Canadá. Sei que pode parecer chato para algumas pessoas, mas eu acho muito digno. Quer dizer, aqui eu nunca serei obrigada a aguentar bêbado na rua fazendo/falando porcaria, ou você não teria seus filhos expostos a este tipo de comportamento. E falando em filhos, como era um dia com programação para toda a família e tinha uma quantidade enoooorme de crianças no local, foi proibido fumar na área do evento durante as festividades. Sem gente bêbada, sem bagunça, sem fumaça de cigarro me sufocando. Amo esse país. Mãe, posso ficar?

Em frente ao palco, deviam ser umas 19h. É, aqui escurece bem tarde no verão, perto das 22h.
Frente do palco já perto da hora dos fogos. A quantidade de gente aumentou consideravelmente.
Crianças soltando fogos pouco antes dos fogos :D

Então, às 21:55, a música parou e começaram a cantar o hino do Canadá. Eu suspeito que cantaram "Parabéns pra você" também, mas não tenho certeza porque os fogos foram atrás do palco e um pouco afastados, então não dava para ouvir direito. O que dizer de ver a queima de fogos tão de perto? Quem me conhece a algum tempo (ou já passou ano novo comigo) sabe que eu adoro fogos de artifício, foi um show lindo, longo e emocionante, até porque começou de repente. Num segundo estavam cantando, no seguinte os fogos estavam explodindo bem acima da minha cabeça. Em alguns momentos o barulho foi tão alto que meus ouvidos doeram. Gravei tudo, mas minha câmera é péssima para filmar no escuro, então roubei a gravação do meu namorado (que tem uma câmera "levemente" melhor que a minha), misturei com a minha vocês vão perceber pela queda na qualidade da imagem (porque ele cansou e desistiu antes do final, que eu achei a melhor parte) e tentei fazer um "Melhores Momentos", até porque acredito que vocês não teriam saco de ver um vídeo de 15 minutos de queima de fogos, estou certa? Bem, quem quiser dar uma olhada, o vídeo está aí.


Bom, tenho MUITA coisa mais para mostrar, mas para o Canada Weekend acho que foi o suficiente, não? Também pretendo fazer os posts beeeem separadinhos para o blog não ficar bagunçado. Beijoooos e até o próximo post!

2 comentários:

Victor Emmanuel disse...

Imaginando como é viver num lugar que não pode beber em publico, sério SAHSAHUSA

Eliziel Ferreira disse...

Meu sonho é criar um esquilo, principalmente esses marrons que tão aos montes, mas nem deixam a gente pegar! :'(

Menina, 15 minutos de fogos?! Chocado com Charlottetown! :o

Postar um comentário